17:03

non-sense

Publicada por Jonas Matos |

De repente, sentimos que tudo mudou.

Podemos sempre tentar enriquecermo-nos no desperdício de estarmos sós, ou empobrecemos numa companhia vazia inalterável.

Navegamos numa constante necessidade de sermos mais do que aquilo que somos só para realmente afirmarmos que não somos aquilo que não queremos ser.

E assim, sem sabermos, passamos a vento que vai e não mais volta.

2 comentários:

Cat. disse...

E assim deixamos de ser quem fomos para passarmos a ser um novo eu...

Tudo passa, tudo muda!

Géniee disse...

Tudo passa Jonas
Adorei, vou seguir!