22:14

Não sei falar de amor

Publicada por Jonas Matos |

Não sei falar de amor.
Apercebi-me hoje ao ver bater a chuva nos vidros que não sei falar de amor. Das duas grandes paixões que tive, guardo delas o melhor, esquecendo o pior por muito mau que me tenha feito.
Apercebi-me que, sem querer, guardo ainda aquele pequeno (e quase mesmo infinito) sentimento de pertença como se ainda, de alguma forma, houvesse algo que fosse ainda meu.
Tenho que me esquecer do que já vivi.
Mais uma vez, ponho-me em causa nos laços de amor.
E eu não sei falar de amor.

6 comentários:

Angel disse...

Tem problema não, melhor que falar é sentir.

É bom guardar o que passou, boas lembranças, mas sem se apegar a ponto de não conseguir substituí-las, ou mesmo, viver novas experiências. Não sei se é o caso, mas pensei sobre isso...

:)

Abraços!

Fábio Paulos disse...

as verdadeiras paixões nunca se esquecem, ficam sempre na nossa memoria, recordamos sempre os melhores momentos que passamos com a nossa cara metade! Estas recordações pertencem nos, não nos podem retirar!

um dia escrevi que o amor era um
"(...) Sentimento inexplicável para alguns,
Uma forma de gostar para outros (...)",
e que para mim seriam ambas, agora penso que o amor e' algo complicado de definir, e cada vez mais difícil de encontrar, por isso noutra altura escrevi mais isto sobre ele,
"(...)Cansei de te procurar
Encontra me se quiseres."
É complicado falar de amor.
Ninguem sabe falar de amor.

Ricardo M disse...

há quem não saiba falar de amor, e há quem não saiba o que é o amor...

Antonio disse...

Jonas,mas todo tu só falas de Amor,mesmo quando dizes que nao falas de Amor.E quem for precrutrador,pode perceber que tu tens muito amor para dar, e estás num processo de contruçao.Talvez mais do que achar Amor, vais te reconstruindo, e ficas bonito assim, para quem apreciar esse gánero. E mais nao digo,porque nao me sinto nem conselheiro espiritual, nem especiliata da área. abço. Antonio Ser

Francisco Coelho disse...

Pior que não saber falar de amor é a incapacidade de o sentir. Ou pelo menos a dificuldade em reconhecê-lo!
O amor não pede que se fale dele.
Pede simplesmente que o vivas com sinceridade. Seja lá isso como for, o que for, de que forma for.
Pelo menos é o que dizem.
Porque eu, tal como tu, acho que não sei falar de amor.

Samuel Pimenta disse...

Um dia, postei isto no meu blog:

"Não me lembro de escrever sobre amor.
Talvez por já ser trivial.
Talvez por não saber o que é.
Talvez por amar demais.


Não me lembro de escrever sobre amor."

Porque o amor é isso, uma intempérie sentimental, um paradoxo, um segredo, um código indecifrável e escrever sonre ele é torná-lo ainda mais confuso, ainda mais obscuro, ainda mais misterioso!

Tudo de bom,

Samuel Pimenta.